This project is read-only.
Compilação do servidor slapd e das ferramentas OpenLDAP na plataforma Linux

Este texto parte da premissa que o leitor tenha os conhecimentos necessários para instalar as bibliotecas requeridas pelo sistema. Caso tenha alguma dúvida, procure ler as indicações feitas na bibliografia ou diretamente nos arquivos README ou INSTALL do código-fonte de quaisquer das bibliotecas mencionadas até agora.

Conforme mencionado anteriormente, o usuário pode necessitar dos seguintes programas e bibliotecas durante a instalação do OpenLDAP na plataforma Linux:

Observação: muitas distribuições de Linux oferecem estes programas e bibliotecas pré-instalados ou na forma de pacotes para pós-instalação.

O código-fonte do OpenLDAP pode ser obtido em http://www.openldap.org/. Após o download do código-fonte, descompacte-o e, dentro da pasta com os arquivos resultantes, execute o seguinte comando:

# ./configure


Se todas as bibliotecas necessárias para a compilação estiverem no sistema, esta execução terminará sem erros deixando como resultado um arquivo Makefile para a compilação do OpenLDAP. No caso de faltar alguma das bibliotecas, você pode consultar no final da execução qual a biblioteca que você não possui instalada. Se esta não for uma biblioteca indispensável, mas recomendável, você pode revisar a saída do comando configure e prestar atenção nos warnings (avisos) que aparecem.

Uma vez gerado o Makefile, execute o seguinte comando:

# make depend


Este comando vai compilar as dependências das ferramentas do OpenLDAP.

# make


Isto vai compilar as ferramentas do OpenLDAP com a informação gerada pelo configure no Makefile.

O próximo comando verifica se a compilação das ferramentas e do servidor ocorreu de forma correta. Ele executará uma série de testes automáticos sobre o servidor OpenLDAP compilado para ver se o mesmo funciona corretamente. Isto permite fazer uma depuração completa de todas as operações LDAP antes de instalar a aplicação no sistema.

Se você tiver absoluta certeza de que a compilação está correta e o código-fonte não contém problemas básicos de funcionamento, pule o próximo comando, pois estes testes são demorados.

# make test


Uma vez que tenha certeza de que tudo está correto, finalmente instale o sistema com o seguinte comando:

# make install


Com exceção deste último passo, que necessita permissões de root, já que copia todos os arquivos do OpenLDAP para os diretórios do sistema aonde há permissões limitadas de escrita, todos os demais podem ser executados com permissões de usuário comum.

Voltar para o índice | Próximo capítulo

Last edited Sep 12, 2007 at 7:31 PM by joicekafer, version 13

Comments

No comments yet.